Colágeno: entenda sua importância e saiba como evitar sua perda ao longo da vida

O colágeno é a proteína mais abundante no corpo humano. Ela representa cerca de 30% de todas as proteínas do organismo. Dessa forma, sua produção é pelo nosso próprio corpo, com a ajuda de outras substâncias que ingerimos diariamente.

Além de ser produzida organismo, ela também pode ser encontrada em alguns alimentos, produtos farmacêuticos e suplementos alimentares.

Diante disso, o colágeno, popularmente, é muito relacionado à saúde da pele. E isso faz todo o sentido, pois garante a firmeza e elasticidade desse órgão. Assim, previne o surgimento de rugas, por exemplo. Mas essa proteína possui mais funções no nosso corpo. A seguir, vamos conhecer mais sobre o colágeno e como evitar perdê-lo com o passar do tempo.

Saiba os principais benefícios do colágeno

Essa proteína, além de ser benéfica para a pele, também é importante para vários órgãos e sistemas do corpo. Confira as principais vantagens do colágeno:

  • Previne e retarda o surgimento das rugas: pois ele fortalece e contribui para a hidratação da pele, prevenindo rugas e linhas de expressão. É um dos elementos mais presentes nas células da pele;
  • Fortalece os ossos: pois ajuda na estrutura e firmeza dos ossos, tornando-os mais fortes. Com o passar da idade, a quantidade de colágeno diminui, deixando os ossos mais frágeis. Nesse caso é preciso fazer uma reposição;
  • Ajuda no tratamento da osteoartrite: essa doença causa inflamação, dor e inchaço nas articulações, por causa de um desgaste na cartilagem. O colágeno está muito presente nas cartilagens e ajuda a prevenir ou tratar a osteoartrite;
  • Aumenta e fortalece a massa muscular: pois realiza a síntese de proteínas musculares. Por conta disso, seu uso é recorrente entre atletas;
  • Contribui para a saúde cardiovascular: pois ele está presente também na estrutura as artérias, fortalecendo os vasos e facilitando o trajeto do sangue até o coração;
  • Beneficia o cabelo e as unhas: está presente nos tecidos do cabelo e das unhas, ajudando no crescimento e elasticidade do cabelo e fortalecimento das unhas.

Quais os tipos de colágenos?

Existem muitas categorias dessa proteína. Ao todo, são 28 tipos de colágenos que exercem várias funções na pele, articulações e cartilagens do corpo. Confira os principais:

  • Tipo I: está presente na pele, ossos, tendões e dentes. É o tipo mais resistente, aguentando tensões;
  • Tipo II: se encontra nas cartilagens e é como se fosse uma esponja. Quando pressionado, se retrai e libera água para o corpo, voltando ao normal após a pressão acabar;
  • Em seguida está o Tipo III: está localizado nas artérias, músculos do intestino e outros órgãos, pois apresenta grande elasticidade;
  • Tipo IV: constituído por moléculas de colágenos, que se unem formando algo parecido a uma tela, funcionando como um filtro;
  • Por fim há o Tipo X, XI e XII: contribuem na formação da cartilagem.

Essa proteína está em vários alimentos

Como falamos no início deste texto, o colágeno também pode ser encontrado em vários alimentos, sobretudo os proteicos. Assim, ele está nos seguintes alimentos:

  • Carnes vermelhas e brancas;
  • Ovos;
  • Peixes;
  • Castanhas, amêndoas e nozes;
  • Aveia;
  • Soja;
  • Frutas cítricas e vermelhas.

No entanto, para que o colágeno seja absorvido pelo corpo, é preciso ficar atento ao modo de preparo dos alimentos. Procure cozinhar no vapor e não os deixe muito tempo guardados na geladeira, pois essa proteína pode ser perdida.

Os mitos dessa proteína

O colágeno, como é muito popular, apresenta vários mitos. O principal deles é que essa substancia engorda. Isso não é verdade, pois ela não contém calorias suficientes para o aumento do peso.

Outro mito diz respeito às estrias e flacidez. Muitas mulheres, principalmente, acham que ingerir grandes quantidade dessa proteína vai acabar com esses problemas. Isso também não condiz com a realidade. Ele pode proporcionar uma melhora, mas não é capaz de eliminar as estrias totalmente.

Como evitar a perda de colágeno?

A partir dos 25 anos, o corpo humano já começa a perder certa quantidade de colágeno. Por isso, nessa idade, já aparecem rugas e manchas na pele. Isso acontece porque uma enzima entra em atividade, degradando as fibras da proteína e iniciando o processo de envelhecimento.

Dessa forma, depois dos 50 anos esse processo se intensifica e o corpo perde muito colágeno, surgindo rugas mais profundas, por exemplo.

Ao longo da vida, alguns hábitos podem ser adotados para diminuir essa perda, incluindo por exemplo:

  • Seguir uma dieta equilibrada, com alimentos como carnes e ovos;
  • Regular o consumo de açúcar;
  • Além disso, usar protetor ao ficar exposto ao sol;
  • Evitar atividades que causam estresse;
  • Por fim, não fumar;

Além desses hábitos, a pessoa precisa ficar atenta ao seu nível de vitamina C. A deficiência dela gera radicais livres que limitam a formação de fibras de colágeno.

Em suma, a produção dessa substância pode ser estimulada com o objetivo de repor sua perda. Hoje em dia existem dermocosméticos especiais para a reposição da proteína no nosso corpo. Mas, vale destacar que, antes de iniciar um tratamento de reposição, você deve procurar um médico para saber como está o nível de colágeno no seu organismo.

Colagenoses: o que são e como tratar?

As colagenoses são conhecidas como doença do colágeno e consistem em um grupo de doenças autoimunes que prejudicam o tecido conjuntivo.

Entre as principais colagenoses, a mais conhecida é o lúpus, doença autoimune que ataca órgãos e células, provocando lesões. Ele é mais comum em mulheres e evolui de acordo com cada paciente, apresentando vários sintomas, incluindo:

  • Manchas na pele;
  • Úlceras orais;
  • Artrite;
  • Problemas renais;
  • Distúrbios no sangue;
  • Inflamações nos pulmões e no coração.

Mas existem outras doenças que estão no grupo de colagenoses:

  • Esclerodermia: causa o acúmulo de fibras de colágeno no corpo e afeta geralmente a pele e as articulações. Ela não tem uma causa definida. Se atingir outros órgãos, pode comprometer suas funções;
  • Síndrome de Sjögren: consiste na infiltração de células de defesa em glândulas do corpo. Isso prejudica a produção de secreções pelas glândulas lacrimais e salivares. Boca e olhos secos são os principais sintomas;
  • Dermatomiosite: compromete os músculos e a pele, causando fraqueza, dificuldades de fazer alguns movimentos. Em casos graves, causa dificuldade de andar e até de engolir alimentos.

O diagnóstico das colagenoses ocorre por um exame detalhado do médico, o que inclui análise sanguínea completa. Por fim, o tratamento delas pode ser feito com corticoides, imunossupressores e reguladores mais potentes da imunidade. Elas não têm cura.