Andropausa e menopausa: tudo o que você precisa saber sobre o assunto

Você já ouviu falar de andropausa? E sabe qual a diferença dela em relação a menopausa? Hoje vamos falar sobre essas duas condições, que são comuns em homens e mulheres mais velhos.

andropausa menopausa

Em primeiro lugar, precisamos definir essas duas situações. A menopausa atinge mulheres entre 40 e 50 anos. Além disso, ela é caracterizada pela interrupção do ciclo menstrual e queda na produção dos hormônios reprodutivos femininos.

Já a andropausa atinge homens, geralmente, acima de 40 anos e é conhecida popularmente como a menopausa masculina. Ela diminui, gradativamente, as taxas de testosterona. Mas essa condição também pode atingir homens de todas as idades, apresentando vários sintomas.

Os dois processos são naturais, mas podem causar incômodo nos pacientes. A seguir, vamos saber mais sobre menopausa e andropausa e o que fazer para aliviar os seus sintomas.

Os sintomas da menopausa

A menopausa apresenta vários sintomas no corpo da mulher. Esses sintomas são físicos, mas também psicológicos. Essa condição não acontece de uma hora para outra. Antes da menopausa se confirmar, as mulheres já apresentam irregularidades na menstruação. E assim, nesse processo os principais sintomas são:

  • Ondas de calor em todo o corpo;
  • Secura vaginal;
  • Suores intensos;
  • Diminuição ou perda total do apetite sexual;
  • Distúrbios do sono;
  • Ganho de peso, causado pela desaceleração do metabolismo;
  • Por fim, ansiedade, estresse e irritabilidade.

Os sintomas da andropausa

A andropausa acontece de forma mais gradual nos homens. Mas mesmo assim, ela apresenta vários sintomas, alguns parecidos com os da menopausa:

  • Falta de energia e fadiga;
  • Queda do apetite sexual;
  • Disfunção erétil;
  • Diminuição da massa muscular;
  • Além disso, diminuição dos pelos do corpo;
  • Suores;
  • Distúrbios do sono;
  • Ansiedade e tristeza;
  • Queda de cabelos;

Como é feito o diagnóstico dessas condições?

Tanto a menopausa quanto a andropausa podem ser identificadas por meio de um exame clínico do médico. Além disso o especialista, conhecendo o histórico do paciente e analisando os sintomas, é capaz de fazer o diagnóstico sem o auxílio de exames.

Mas alguns exames podem ser solicitados se houver necessidade. Nas mulheres, certos testes são eficazes para identificar a atividade dos ovários. O principal teste nesse sentido é o FSH (Hormônio Folículo Estimulante).

Nos homens, um exame de sangue que mede a quantidade de testosterona no organismo pode confirmar a andropausa.

Quais as diferenças entre menopausa e andropausa?

Apesar de serem condições parecidas, elas têm várias diferenças. A principal é em relação à capacidade de reprodução.

Nas mulheres, a menopausa causa a redução na produção do hormônio estrogênio. Isso faz com que ela passe a produzir cada vez menos óvulos. Após um determinado tempo, como consequência disso, a mulher perde a capacidade de engravidar.

Já nos homens isso não ocorre. A andropausa pode causar uma diminuição na produção de esperma, mas não causa uma paralisação total nessa produção. Assim, mesmo após a andropausa, é possível ter filhos.

Outra diferença está em relação à idade que essas condições se manifestam. Nas mulheres, há um período bem definido, que varia, geralmente, entre 40 e 50 anos, podendo surgir até os 52 anos. E a menopausa é mais visível, pois os sintomas são identificados de forma mais clara.

Nos homens, não há uma data definida para o início da andropausa. Ela pode começar a partir dos 40 anos, mas a idade varia muito. E, nos homens, essa condição é menos visível.

Por fim, a última diferença é em relação aos calores. As mulheres sentem muitas ondas de calor durante a menopausa. Já os homens não sofrem com esse sintoma. No máximo, eles apresentam episódios de suores, mas de forma bem menos frequente em relação às mulheres.

Existe tratamento para a menopausa e andropausa?

O tratamento para as duas situações consiste na reposição hormonal. Assim, as mulheres devem consultar seu ginecologista de confiança. Esse profissional pode indicar a reposição hormonal por meio de várias formas, com o objetivo de não gerar desconforto para a mulher:

  • Medicação oral;
  • Adesivos;
  • Injeções;
  • Gel;
  • Spray nasal.

Já os homens devem consultar um urologista ou endocrinologista após apresentar um ou mais sintomas da andropausa. A reposição hormonal é feita, geralmente, com medicações. O médico precisa acompanhar os resultados do tratamento, solicitando de forma seguida exames de sangue no paciente.

Esse tipo de tratamento não tem uma duração específica, mas deve ser administrado pelo menor tempo possível. Os riscos e benefícios da reposição hormonal precisam ser levantados pelo médico, que irá decidir até quando ela é segura para o paciente.

Nas mulheres, por exemplo, o momento ideal para o início desse tratamento é antes dos 60 anos. Recomenda-se que ele dure até 10 anos após a data da última menstruação. Esse período, no entanto, pode variar bastante. Tudo depende de fatores como o organismo de cada paciente, histórico familiar de câncer e o estado de saúde, entre outros.

Há contraindicações para a terapia hormonal?

Em alguns casos, tanto homens quanto as mulheres não podem fazer o uso da terapia hormonal. No caso das mulheres, por exemplo, a reposição hormonal é contraindicada nos seguintes casos:

  • Presença de câncer de mama e de endométrio;
  • Sangramento vaginal sem uma causa conhecida;
  • Histórico de AVC (Acidente Vascular Cerebral);
  • Além disso, histórico de tromboembolismo;
  • Histórico de doença cardíaca;
  • Por fim, histórico de doença hepática grave.

Nos casos dos homens, antes de se iniciar um tratamento de reposição hormonal, o médico precisa investigar a próstata. Se for identificado qualquer tipo de alteração, é necessário reavaliar esse tratamento. Assim, em caso de câncer de próstata ou câncer de mama masculino, a reposição com hormônios também é contraindicada.

A reposição de doses de testosterona acima do normal pode causar outros problemas de saúde, desde alterações no colesterol até danos no fígado.

Como combater os sintomas da menopausa e andropausa?

Além de fazer uma reposição hormonal, os pacientes podem adotar hábitos que diminuem a intensidade dos sintomas:

  • Se manter hidratado, principalmente após atividades físicas;
  • Realizar exercícios leves e moderados;
  • Manter uma dieta equilibrada e variada, com alimentos leves e pouco gordurosos;
  • Sempre que possível, permanecer em ambientes arejados;
  • Além disso, não ficar muito tempo em jejum;
  • Evitar o consumo de álcool, cigarro e outras drogas;
  • Procurar manter uma vida sexual ativa;
  • Por fim, tomar sol com frequência.