Deficiência e excesso de iodo: saiba mais sobre esses problemas

O iodo é um mineral essencial para o nosso organismo. A maior parte dele está localizada na tireoide. Sua função principal é regular os hormônios que estão ali. Dessa forma, ele ajuda a equilibrar e regular processos metabólicos. Em bebês, o iodo ajuda a desenvolver o cérebro e outros órgãos.

Mas a deficiência de iodo, bem como seu excesso no organismo, pode ocasionar problemas de saúde. Por isso conheça a seguir todas as vantagens do mineral e o que sua deficiência ou excesso pode acarretar no corpo humano.

Principais vantagens do mineral

Esse mineral apresenta várias vantagens para o organismo. Como ele fica na tireoide e ajuda na síntese dos hormônios produzidos por esse órgão, ele ajuda em processos como por exemplo:

  • Crescimento físico e neurológico;
  • Manutenção do calor corporal, regulando a energia do organismo;
  • Funcionamento de vários órgãos, incluindo o coração.

Assim, o iodo, na quantia certa no corpo, pode evitar vários problemas de saúde, que incluem:

  • Problemas na tireoide;
  • Infertilidade feminina;
  • Pressão alta em mulheres grávidas;
  • Câncer de próstata, mama e ovário, entre outros;
  • Além disso, diabetes;
  • Por fim, problemas do coração.

Assim sendo, a deficiência de iodo no corpo pode causar algumas complicações no organismo e levar a outros problemas. Por outro lado, o excesso dele também é danoso para o ser humano. Confira a seguir mais sobre essas duas condições.

Deficiência de iodo

O iodo está presente em muitos alimentos, mas também na água do mar. Dessa forma, o mineral acaba entrando na atmosfera e, por meio da chuva, vai para rios, lagos e solos.

É dessa forma que, entre os alimentos que mais contém iodo, estão alguns tipos de peixes. Outra situação interessante é em relação ao famoso sal iodado. Como a falta de iodo prejudica as grávidas e a saúde do feto, desde os anos 50 é obrigatório colocar iodo no sal de cozinha.

Isso diminui muito o problema da deficiência desse mineral no corpo e, como consequência, diminui os problemas causados por ela. Mas mesmo assim, algumas pessoas sofrem com a deficiência do mineral, sobretudo aquelas que vivem longe do mar ou em altitudes elevadas.

Sintomas e tratamento da deficiência de iodo

O principal sintoma da deficiência do iodo é o aumento da tireoide (bócio). Assim, a produção dos hormônios da tireoide é prejudicada. Essa baixa produção é chamada de hipotireoidismo. Isso afeta principalmente a fertilidade e pode apresentar outros sintomas:

  • Inchaço na pele;
  • Rouquidão;
  • Intolerância ao frio;
  • Aumento de peso.

Em gestantes, essa deficiência prejudica a formação do feto e, dessa forma, pode causar um aborto espontâneo.

O diagnóstico dessa condição é feito por meio de exames de sangue e da constatação do aumento da tireoide, no caso de adultos. O médico também pode solicitar exames de imagem, como, por exemplo, uma ultrassonografia.

O tratamento consiste em repor o iodo no organismo e também no uso de suplementos de hormônios da tireoide. Em gestantes, por exemplo, o uso diário de vitaminas pré-natais é importante e precisa ser feito com a orientação do médico.

Excesso de iodo no organismo

Essa é uma situação rara, mas que, quando acontece, também pode afetar a tireoide. O consumo em excesso desse mineral ocorre sobretudo em duas situações:

  • Uso prolongado de suplementos de iodo;
  • Alto consumo de frutos do mar e água rica em iodo, geralmente por pessoas que vivem próximas ao mar.

O excesso de iodo no corpo pode fazer com que a tireoide se torne hiperativa. Assim, ela produz hormônios tireoidianos em uma quantidade superior à necessária. Chamamos isso de hipertireoidismo. Ele ocorre em pessoas que costumavam consumir pequenas quantidade de iodo e passaram a exagerar no seu consumo.

Também pode acontecer o efeito inverso. O excesso do mineral pode diminuir a produção de hormônios da tireoide. Isso também causa o hipotireoidismo, que é o mesmo que ocorre na deficiência de iodo.

As pessoas com grande quantidade de iodo no corpo costumam sentir um gosto metálico na boca e produzir mais saliva. Além disso, pode acontecer uma irritação no trato digestivo e outros sintomas, que incluem, por exemplo:

  • Diarreia;
  • Dor abdominal;
  • Náusea;
  • Vômito;
  • Taquicardia;
  • Lábios e pontas dos dedos azuladas.

Diagnóstico e tratamento do excesso do mineral no corpo

O diagnóstico dessa condição é feito por meio de exames de sangue, avaliação clínica e exames de imagem. O médico sempre vai investigar a tireoide, que é o órgão onde fica a maior parte do iodo do nosso organismo.

Os exames de sangue, por exemplo, determinam os níveis de hormônios tireoidianos no corpo. O tratamento pode ser simples e exigir apenas uma alteração na alimentação, evitando os alimentos ricos em iodo. Algumas vezes é preciso regular a tireoide com hormônios tireoidianos.

Pessoas com grande quantidade do mineral no organismo não devem consumir o sal iodado e nem frutos do mar, por exemplo.

Alguns tipos de medicamentos também podem ser indicados, conforme a condição de cada paciente. Esses remédios ajudam a tireoide a funcionar de forma correta.

Alimentos ricos em iodo

Como falamos, o iodo é encontrado em grande quantidade no mar e em solos próximos a ele. Assim, ele está muito presente em vários tipos de peixes e frutos do mar. Confira os principais alimentos de origem animal ricos em iodo:

  • Salmão;
  • Bacalhau;
  • Cavala;
  • Mexilhão;
  • Camarão;
  • Leite;
  • Ovo;
  • Truta;
  • Fígado;
  • Queijo;
  • Atum.

Além disso, entre os alimentos de origem vegetal mais ricos em iodo, estão:

  • Wakame (espécie de alga marinha, muito consumida na Ásia);
  • Kombu (alga marinha consumida no nordeste da Ásia);
  • Nori (folha deita de algas, consumida muito no Japão);
  • Ameixa seca;
  • Banana;
  • Sal iodado.

Existem também alimentos que diminuem a absorção do iodo pelo organismo. Entre eles, podemos citar a cenoura, milho, mandioca e couve-flor. Mas eles devem ser evitados por pessoas que já possuem baixa quantidade de iodo, pois podem piorar os níveis desse mineral no organismo. Por outro lado, quem tem excesso de iodo pode comer esses alimentos.

É sempre recomendável que a pessoa busque orientação médica em caso de qualquer alteração na tireoide. Além disso, o uso de suplementos também deve ser feito com orientação de um profissional na área da saúde.