Jiu-Jitsu: conheça essa luta e veja seus benefícios para a saúde

Hoje vamos conhecer o Jiu-Jitsu. Praticar qualquer tipo de esporte só traz vantagens para o nosso corpo. Existem modalidades que focam mais na parte física e outras mais na questão mental. Mas algumas modalidades priorizam essas duas coisas, como essa arte marcial.

O Jiu-Jitsu é uma luta focada no equilíbrio corporal, que visa utilizar golpes baseados em técnicas e não na força. Além disso, o respeito ao adversário é a premissa básica das artes marciais. Por causa disso, essa modalidade pode fazer muito bem para sua saúde física e mental. A seguir, conheça mais sobre esse esporte e seus benefícios.

A história milenar do Jiu-Jitsu

Antes mesmo da luta ganhar esse nome, há indícios que ela já era praticada na Índia. Os monges budistas tinham a necessidade de criar formas de defesa pessoal conforme o budismo se expandia. Assim, essas técnicas de defesa chegaram na China e, depois, no Japão.

Foi no país japonês que essa luta se popularizou, ganhando o nome de Jiu-Jitsu, após o fim do sistema feudal, em 1868. Os samurais japoneses queriam desenvolver técnicas de combate desarmado. Foi a partir disso que muitas lutas marciais surgiram ou foram popularizadas. Dessa forma, o país foi o grande responsável pela disseminação de muitas lutas, incluindo o Jiu-Jitsu.

No Brasil, essa luta passou chegou ao país por volta de 1908 em universidades e centros militares. O fato curioso é que, quando o Jiu-Jitsu veio ao Brasil, outra luta já era muito popular: o judô. Dessa forma, foi por meio dos judocas Sada Miyako e Mitsuyo Maeda que o Jiu-Jitsu foi se expandindo no nosso país.

A história dessa modalidade no Brasil também está fortemente vinculada à família Gracie. Em 1915, Gastão Gracie incentivou o filho mais velho, Carlos, a praticar a luta. Carlos Gracie saiu de Belém do Pará rumo ao Rio de Janeiro com a missão de disseminar essa prática. E assim, o sucesso foi tanto que ele criou o chamado Jiu-Jitsu Brasileiro (Brazilian Jiu-Jitsu).

O Jiu-Jitsu Brasileiro

Por volta de 1914, o mestre Mitsuyo Maeda chegou ao Brasil com o intuito de propagar os ensinamentos milenares do Jiu-Jitsu. O mestre estava percorrendo diversos países e, no Brasil, foi recepcionado pela família Gracie.

Carlos Gracie, já no Rio de Janeiro, junto com alguns de seus irmãos, desenvolveu o Jiu-Jitsu Brasileiro. Essa nova técnica era um pouco diferente da luta original. Seu principal objetivo era desequilibrar o oponente, levando o confronto para o chão. Assim, essa modalidade se popularizou no Brasil e até hoje milhares de pessoas a praticam.

Regras gerais desse esporte

O objetivo do Jiu-Jitsu é dominar e derrubar o adversário por meio de 3 tipos de golpes:

  • Torções;
  • Pressões;
  • Alavancas.

Diante disso, regras básicas precisam ser seguidas, entre elas:

  • Cada luta dura 3 minutos para alunos e 5 para mestres;
  • A luta precisa ocorrer obrigatoriamente em um tatame e com a presença de árbitro;
  • Os golpes só são válidos se quem o aplicar estiver com pelo menos um dos pés dentro do tatame;
  • Uma luta pode terminar por diversos motivos, incluindo desistência, desclassificação ou decisão do árbitro;
  • Além disso, a vitória pode ser por finalização ou contagem de pontos;
  • As punições geram perda de pontos, dependendo da infração;
  • Por fim, as pontuações seguem o padrão: 2 pontos por queda, joelho na barriga e raspagem; 3 pontos por passagem de guarda e 4 pontos por montada e pegada pelas costas.

Principais golpes dessa luta

Existe um universo enorme de golpes para o Jiu-Jitsu. Dessa forma, entre os principais estão, por exemplo:

  • Queda: consiste em derrubar o oponente no chão;
  • Montada: ao derrubar o adversário, o lutador fica encima dele, com joelhos e pés apoiados no chão;
  • Mata-leão: estrangulamento aplicado pelas costas. O pescoço do oponente é pressionado pelo lutador em uma alavanca;
  • Chave de braço: o braço do adversário é pressionando entre as pernas do lutador;
  • Joelho na barriga: é uma técnica de pressão contra a barriga do oponente, feita pelo lutador que está por cima.

O adversário que conseguir finalizar o outro vence a luta. Mas às vezes isso não acontece. É aí que entra em ação o somatório dos pontos de cada golpe. No final, quem tiver mais pontos, vence.

Benefícios do Jiu-Jitsu

Essa luta apresenta inúmeros benefícios para a saúde física e mental, trazendo um bem estar geral ao organismo. Assim, podemos citar as principais vantagens de praticar essa modalidade, como por exemplo:

  • Aumenta o reflexo e poder de reação;
  • Combate o estresse, a ansiedade e outros problemas muito atuais;
  • Melhora a resistência e flexibilidade dos seus praticantes;
  • Aumenta a capacidade de autodefesa, pois essa luta ensina técnicas de defesa pessoal;
  • Além disso, melhora a autoconfiança;
  • Contribui para a melhora da condição física e perda de peso, além de definir o corpo;
  • Ajuda o sistema cardiovascular e função respiratória;
  • Por fim, melhora a coordenação motora.

Assim, podemos concluir que o Jiu-Jitsu trabalha corpo e mente ao mesmo tempo priorizando os dois. Dessa forma, esse esporte pode ser um grande aliado para a melhora da qualidade de vida e saúde mental.

Cuidados ao praticar essa modalidade

Assim como qualquer prática esportiva, essa luta exige certos cuidados. Se você decidir começar esse esporte, certifique-se em encontrar uma academia confederada e federada.

No site da Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu ou na federação de seu estado é possível consultar as academias inscritas.

Após escolher um local de confiança, é preciso ter a supervisão de um professor. A ajuda de um profissional é essencial, sobretudo para iniciantes. Antes de começar a prática, também é recomendável consultar um médico, pois algumas condições de saúde impedem a prática de arte marcial.

Aliás, a saúde da pessoa é o único fator que pode limitar a prática dessa luta. Por isso é necessária uma autorização médica.

Durante a prática desse esporte, podem acontecer algumas lesões. As principais delas são nas articulações, devido aos golpes. Lesões musculares também podem ocorrer. Assim, junto com a prática de Jiu-Jitsu, é importante realizar atividades como musculação e corrida, entre outras.

Em suma, não existe limite de idade para a prática dessa luta. Homens, mulheres, crianças e até idosos podem praticá-la, seguindo todas os cuidados, claro.