Este site utiliza cookies para garantir uma melhor experiência de navegação. Ao continuar navegando, você concorda com o uso de cookies.
Política de Privacidade
Brusites - O que são!? - Livraria Florence
0 0
0 0

Bursites: o que são, locais onde aparecem e como tratá-las

Hoje vamos falar de bursites. Todas as nossas articulações possuem espécies de bolsas, ou bursas, que são formadas por líquidos ricos em colágeno e proteínas. A delas é diminuir o atrito dos tendões e músculos com o osso. De forma simples, elas funcionam como amortecedores, em todas as partes móveis do nosso corpo e possuem um alto poder lubrificante. Estima-se que o corpo humano possui, em média, 160 bursas. 

Mas quando elas inflamam, pois causam dor, limitação nos movimentos e outros problemas. Assim, chamamos essas inflamações de bursites. Conforme o indivíduo vai ficando mais velho, as chances de isso acontecer aumentam. Outras atividades também aumentam a chance dessa condição aparecer. Essa condição é comum na sociedade, mas causa diversos incômodos no paciente. 

Porém, antes de explicarmos tudo sobre bursites, é preciso frisar que essa doença é diferente da tendinite. A tendinite consiste em uma inflamação no tendão, enquanto as bursites atingem especialmente as bursas. 

Então, vamos saber mais sobre as bursites, suas causas, sintomas e tratamento. 

Principais causas para o surgimento das bursites

Essa condição costuma se intensificar com o avançar da idade. Mas existem outros fatores que são responsáveis pelo surgimento desse tipo de inflamação:

  • Traumas: nesse caso, a bursite pode ser crônica ou aguda. A crônica é causada pela realização de movimentos repetitivos. É mais comum aparecer nos ombros ou nos joelhos. Já a aguda é causada por um trauma imediato, como uma pancada; 

  • Infecções: algumas bactérias podem causar esse tipo de inflamação, sobretudo nas bursas localizadas próximas da superfície da pele. Pessoas debilitadas, com alguma doença ou com feridas na pele possuem mais chance de desenvolver o que é caracterizado como bursite séptica;

  • Doenças reumatoides: algumas doenças como a gota aumentam a chance de a pessoa sofrer de bursites. Isso porque essas doenças podem formar uma espécie de cristal nas bursas, aumentando o risco de inflamação.

Dentro desses principais fatores, em relação aos traumas, podemos citar que muitas atividades esportivas e domésticas podem desencadear bursites. Em crianças e adolescentes, o uso exagerado de vídeo games também contribui para essa condição. 

Sintomas e diagnóstico das bursites

Como é um processo inflamatório, essa doença apresenta os seguintes sintomas: 

  • Sensibilidade na região atingida;

  • Dor ao redor de toda a região, atingindo as articulações e até os músculos; 

  • Além disso, rigidez;

  • Limitação nos movimentos do local afetado;

  • Inchaço;

  • Por fim, vermelhidão. 

Ao persistir com um ou mais desses sintomas por dias, o paciente precisa procurar um médico ortopedista. Após fazer uma avaliação física, o profissional pode solicitar exames de imagem, como ressonância magnética ou ultrassom. 

O paciente também pode ter febre e isso indica que ele deve procurar um médico o quanto antes. A febre pode significar que há um processo infecioso na bursa atingida. Se a região estiver extremamente vermelha, quente e com alta sensibilidade, é mais um sinal de infecção. 

Diante da presença de febre, o diagnóstico pode demorar um pouco mais, pois o médico precisará descartar outras infecções. Assim, ele poderá solicitar exame de sangue, Raio X ou tomografia. 

Principais partes do corpo atingidas por bursites

As bursites podem atingir qualquer região que possua bursa no nosso corpo. No entanto, alguns locais são mais comuns: 

  • Ombro: atinge também as estruturas presentes ao redor do ombro, causando limitações nos movimentos. Além disso, causa a chamada “Síndrome de Impacto”, que gera dor do lado e na frente do ombro. A dor é pior a noite;

  • Cotovelo: a dor aumenta quando o cotovelo é dobrado. Nessa região, é mais comum a bursite aguda (por traumas diretos) e também há maior chance de infecção;

  • Joelho: pode ocorrer por movimentos repetitivos como, por exemplo, ficar muito tempo ajoelhado, ou por conta de um impacto isolado. Também é comum em atletas, principalmente em corredores e em pessoas acima do peso; 

  • Tornozelo: ocorre quando a bursa localizada acima do chamado tendão de Aquiles fica inflamada. Pode ser resultado do uso de algum calçado inapropriado, como os sapatos de salto, e também atinge atletas ou pessoas que caminham longas distâncias;

  • Glúteos: pode ocorrer após o paciente ficar muito tempo sentado em uma superfície dura ou após pedalar por longos períodos; 

  • Quadril: a bursa localizada no quadril é a maior do corpo humano. Geralmente, a inflamação nessa região está associada a outros problemas como artrite.

Tratamento para as bursites

As bursites podem desaparecer com o passar do tempo naturalmente. Caso isso não ocorra, o médico irá propor um tratamento com o objetivo de reduzir a inflamação. Assim, a dor tende a diminuir e a mobilidade do paciente não será tão afetada. 

Dessa forma, os principais tratamentos para essa inflamação são: 

  • Proteger o local atingido pela inflamação, para evitar impactos;

  • Além disso, repousar a área afetada;

  • Aplicação de gelo, por dez minutos duas vezes ao dia, ou mais;

  • Compressão, podendo ser feita com uma bandagem elástica;

  • E, por fim, uso de remédios indicados pelo médico, geralmente analgésicos para a dor e anti-inflamatórios.

Existem outros tipos de tratamentos. Mas a abordagem é diferente dependendo do tipo de bursite. No caso da bursite não infecciosa, atividades como acupuntura ou fisioterapia podem ser úteis para diminuir a dor. Já no caso da presença de infecção, além do uso de antibióticos, o médico irá drenar a bursa com uma agulha. 

O tratamento costuma mostrar resultados após 3 ou 4 dias, mas isso depende de cada paciente. No caso de infecção, talvez seja preciso drenar a área por várias vezes ao longo de semanas. 

Existe como prevenir essa condição?

A melhor forma de prevenir o surgimento de bursites é com o chamado autocuidado. Assim, a pessoa precisa ter consciência e evitar alguns hábitos que aumentam a chance de a inflamação aparecer. Dessa forma, fique atendo às seguintes situações: 

  • Após se abaixar ou levantar, sempre flexione o joelho;

  • Procure se manter dentro do peso ideal; 

  • Se você precisa realizar tarefas repetitivas, sempre faça algumas pausas frequentes; 

  • Além disso, realize alguma atividade física diária; 

  • Ao realizar qualquer atividade física, faça alongamento; 

  • Procure manter uma boa postura;

  • E, por fim, evite carregar pesos muito elevados.

Se você possui histórico familiar de bursites ou realiza uma atividade repetitiva, é interessante fazer um acompanhamento com um fisioterapeuta ou terapeuta ocupacional.  

 

Foram encontrados 2 produtos nesta categoria (em 0,007 segundos)
Ordenar por:
Foram encontrados 2 produtos nesta categoria (em 0,007 segundos)
Ordenar por:

Produtos que você já viu

Você ainda não visualizou nenhum produto

Termos Buscados

Você ainda não realizou nenhuma busca
Newsletter
CADASTRE-SE E RECEBA OFERTAS EXCLUSIVAS: